domingo, 1 de abril de 2012

De volta...

Após dois anos, resolvi voltar com o blog.
Lá vai mais uma tentativa e acho que nada melhor para recomeçar do que falar de mim de novo. Afinal, muita coisa mudou.
A menina de agora, na verdade, nem é tão mais menina assim.
Ela não sonha mais tanto quanto antigamente porque ela aprendeu que quando a gente sonha muito alto, o tombo é realmente enorme.
A menina que não tinha medo de sonhar deixou esse medo tomar conta dela e agora vive um dia de cada vez sem pensar muito no futuro.
Por que ela parou de sonhar? Difícil explicar.
Ela colecionou muitas decepções nesses últimos anos.
Não acredita mais que as pessoas podem mudar e que pequenos gestos fazem a diferença.
Nesse tempo, muitos pequenos gestos a agradaram, mas depois dessas atitudes, poucas palavras acabaram com tudo.
A menina de agora não acredita mais em príncipe encantado (acho que ela nunca acreditou de verdade),
Não acredita mais em casamentos,
Mudou de planos e decidiu que pode ser feliz sozinha,
Deixou de ser boazinha e aprendeu a tratar os outros da mesma forma que é tratada.
Aprendeu também que não adianta acreditar que o mundo vai mudar.
Enfim, essa menina mudou tanto e aprendeu tantas coisas.
O que não mudou?
A menina de agora continua com a mesma dúvida de dois anos atrás: ainda acha que não nasceu para ser jornalista, mas também não tem nenhum outro talento além de escrever, que por sinal acha o talento mais sem graça do mundo.
A menina de agora deveria já estar terminando o curso, mas ainda está empacada no quinto semestre.
A menina de agora ainda continua com alguns sonhos muito altos em mente, mesmo sem acreditar que eles vão virar realidade.
A menina de agora sabe que a única forma de realizar esses sonhos é se tornando uma jornalista.
A menina de agora continua querendo trabalhar com jornalismo esportivo e provar que as mulheres entendem sim de futebol, mas a pergunta da música "Pais e Filhos" da Legião Urbana continua na cabeça dessa menina há quase três anos: "O que você vai ser quando você crescer?"

2 comentários:

  1. Olá Barbara!
    Obrigada por sua visita!.. Aceitei o convite e vim aqui conhecer o seu cantinho :)
    Muito bacana tudo por aqui.. parabéns!!!.. Já estou a lhe acompanhar!

    Uma beijoka em seu coração..
    Verinha

    ResponderExcluir
  2. Independente que querer ou não,de poder ou não,de aceitar ou não,temos que desapegar da alegria da infância e crescer, crescer com dor na alma, crescer levando pancadas da vida até calejar e parar de doer.Pena que a vida não é o que merecemos,a vida é o que tem que ser.Adoro a forma como escreve e acredito que será uma brilhante jornalista.Por isso quero seu autógrafo, agora.Beijo de quem quer sempre te ler.:-BYJOTAN.

    ResponderExcluir