segunda-feira, 26 de julho de 2010

Orgulho de ser brasileiro!!!



A seleção brasileira masculina de vôlei venceu mais uma vez a Liga Mundial. O resultado : Brasil 3 X 1 Rússia. E não foi uma simples vitória. Foi muito mais do que isso. O Brasil conquistou seu nono título na competição ultrapassando a Itália. Somos os maiores campeões do mundo. Uma pena que os brasileiros sejam conhecidos como amantes do futebol, mas a nossa seleção de vôlei está fazendo isso mudar. É lamentável que a televisão e os jornais não deem o merecido destaque à esses brilhantes jogadores que, diferentemente da seleção de futebol, nos fazem ter vontade de cantar: "Sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor". Há 10 anos ultrapassar a Itália parecia impossível, mas nossos meninos de ouro provaram o tamanho do seu talento e conseguiram realizar esse grande feito. E tudo isso só aconteceu graças ao técnico Bernardinho.




Os jogadores tem seus méritos, mas não seria possível essa seleção conquistar tantos títulos sem esse grande mestre. Sempre quis saber qual o segredo do seu sucesso. Mesmo com uma seleção renovada, o nosso vôlei consegue se manter no auge. Como isso é possível? Ao ler o livro "Transformando Suor em Ouro" percebi que um dos segredos de Bernardinho é a fórmula TRABALHO + TALENTO = SUCESSO. E claro que o trabalho vem antes do talento. Tem pessoas que nascem sem talento, mas com muito trabalho e esforço conseguem chegar ao sucesso. E foi assim que a nossa seleção conseguiu chegar ao topo do voleibol mundial. Muita dedicação, esforço, treino, treino, treino e mais treinos. No livro, Bernardinho fala da quantidade de treinos que a seleção faz. E diz também que os jogadores reclamam e ficam exaustos, mas ao ganhar uma competição, eles têm a certeza de que todo o esforço valeu a pena. O livro não fala apenas do vôlei brasileiro, mostra grandes lições que podem ser aplicadas na nossa vida. As principais palavras de Bernardinho são disciplina, perseverança, esforço, obstinação, solidariedade e trabalho em equipe. "Superação é ter a humildade de aprender com o passado,não se conformar com o presente e desafiar o futuro". Essa é uma frase que se encaixa muito bem para a nossa seleção. Após a conquista da medalha de prata nas Olimpíadas de Pequim, onde muita gente criticou a seleção e se decepcionou por estar acostumado só a vencer, o Brasil mostrou que pode se superar. Os jogadores mostraram que "a maior tristeza não é a derrota, mas não ter a oportunidade de tentar de novo". Nessa Liga foram altos e baixos, alguns momentos ruins, mas também momentos excelentes. Na fase final, alguns jogadores que arrebentaram nos primeiros jogos, não estavam no seu auge e o técnico de Cuba disse que essa seleção não era tão forte quanto a do ano passado. Literalmente ele quebrou a cara! Bernardinho teve coragem de mudar o time no momento em que foi preciso, fez as devidas substituições e no final tudo deu certo. O Brasil se superou mais uma vez, conseguiu aprender com o passado e desafiou o futuro. E quem um dia imaginou que o futuro seria esse? A seleção é eneacampeã mundial! Parabéns aos jogadores e à toda comissão técnica!



Algumas frases do livro que servem como grandes lições:
1- A vitória não é mais importante do que a certeza de termos feito todo o esforço para conquistá-la.
2- Dedicar-se com obstinação na busca de um objetivo.
3- Os guerreiros vitoriosos vencem antes de ir à guerra, ao passo que os derrotados vão à guerra e só então procuram a vitória (Sun Tzu).
4- Disciplina é a ponte que liga nossos sonhos às nossas realizações. Todos nós temos objetivos e queremos conquistá-los, mas é importante que estejamos dispostos à construir essa ponte (Pat Tillman).
5- Encarar os desafios como grandes oportunidades.
6- Grandes não são os que caem e sim os que se levantam.
7- Tentar entender os porquês de uma derrota, assumir suas responsabilidades e seguir em frente (essa é a melhor forma de lidar com a derrota)
8- Errar na forma é aceitável, mas nunca na intenção.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Espanha campeã: a Copa do Mundo agradece!


A Espanha provou que uma seleção favorita pode sim vencer a Copa do Mundo. A derrota para a Suíça na estréia fez todos pensaram que, mais uma vez, o time favorito seria uma grande decepção. Não foi assim. Apareceram outros favoritos como a Alemanha e a Holanda. Mas aos poucos, a Espanha foi mostrando seu futebol bonito com bom toque de bola e eliminou os próprios alemães, além de conquistar o título contra a Holanda. E isso só foi possível devido a um trabalho de quatro anos que começou com o técnico Luís Aragonés, comandante da seleção na Copa de 2006, mas acabou sendo eliminado pela França. Mesmo assim ele continuou no comando e conseguiu conquistar o título da Eurocopa com a Espanha. A partir daquele momento, os espanhóis mostraram que um só jogador não vence um campeonato e sim o conjunto da obra. Foi isso que aconteceu ontem na final.
A Espanha tem grandes estrelas como Xavi, Iniesta, Busquets, Xabi Alonso, Piqué e Villa. Juntos esses jogadores mostraram como se joga um futebol bonito. A Holanda se tornou favorita durante a competição, mas seu jogo sujo com entradas fortes e seu anti-futebol, que vimos na partida contra o Brasil, prejudicou o time e resultou na perda do título inédito para os espanhóis. Prova disso é que a final foi o jogo mais violento com 13 cartões amarelos e 1 vermelho. E poderia ter sido mais, se o árbitro Howard Webb não tivesse cometido alguns erros, por exemplo, quando o holandês De Jong chutou no peito o jogador Xabi Alonso e o juiz deu apenas um cartão amarelo.
Enfim, venceu a seleção que merecia. Com um futebol bem jogado, que encantou milhões de torcedores, a Espanha venceu a Copa do Mundo merecidamente. Os números mostram que se outra seleção fosse campeã seria injustiça. Nas últimas 54 partidas, o espanhóis venceram 49, empataram 3 e perderam duas. É ou não é merecido?
A Copa do Mundo acabou, mas devemos lembrar os protagonistas desse torneio: a vuvuzela, a jabulani, o polvo Paul, Larissa Riquelme, Mick Jagger, etc. Mas a grande protagonista, com certeza, foi a África do Sul. Um país que mostrou ser bastante rico, levou sua alegria e cultura para o mundo e provou que sua pobreza é muito pequena diante de tamanho espetáculo mostrado para todo o mundo. Que até 2014, o Brasil possa aprender com os africanos como se realiza uma Copa do Mundo e tenha a campeã Espanha de 2010 como inspiração para trazer o hexa!

sábado, 3 de julho de 2010

Que venha 2014!


Como explicar uma derrota? É fácil apontar os culpados, mas fica difícil entender as razões e explicar porque deu errado. Uma seleção contestada, tanto jogadores como comissão técnica, mas aos poucos Dunga foi conquistando os brasileiros: chegou de mansinho, ganhou a Copa América e a Copa das Confederações, além de classificar o Brasil em primeiro lugar nas Eliminatórias. Com isso, os brasileiros acreditaram que o Brasil pudesse ir longe na Copa do Mundo. Mas não foi o que aconteceu.
Desde o começo da partida, deu para notar que algum jogador seria expulso, alguns minutos depois Felipe Melo (que já tinha feito gol contra) comete uma falta ridícula que mereceu cartão vermelho. Dunga não tentou fazer nada, ele viu que o jogador seria expulso, mas não fez substituição. Preferiu deixar acontecer e deu no que deu. O técnico foi castigado: arrogante o tempo todo com a imprensa, tentou calar a boca de todo mundo, mas não conseguiu. E depois do jogo, ficou mansinho, não teve coragem de enfrentar os jornalistas, como em outras coletivas.
A corajosa entrevista do goleiro Júlio César logo após a partida refletiu muito bem o que os brasileiros estão sentindo e diferentemente da última Copa, em 2006, mostrou que os jogadores também sofreram com a derrota. Como se explica o fato deles ganharem milhões e em um jogo decisivo, não retribuem o que pagam à eles? Ser jogador não é fácil, representar uma nação como o Brasil não é tarefa simples, a camisa pesa muito. E nessa hora não há dinheiro no mundo que acabe com tamanha pressão.Dá pra imaginar o que é jogar por milhões de brasileiros, contra a Holanda em uma quarta-de-final da Copa do Mundo? Não, eu não estou defendendo a seleção. Também fiquei triste com a eliminação, xinguei o Felipe Melo e critiquei a escalação do Dunga. Apenas estou tentando mostrar o quanto é difícil jogar o torneio de futebol mais importante do mundo. Resta esperar 2014, talvez os quatro anos mais longos da história da seleção brasileira de futebol, afinal a Copa é no Brasil e além desse motivo, o Brasil tem outro para brilhar no campeonato: apagar os vexames de 2006 e 2010. Com os brasileiros fica a esperança de que 2014 pode e vai ser diferente!