sexta-feira, 25 de junho de 2010

Há um ano o mundo perdia o Rei do Pop...


Hoje faz um ano que morreu o Rei do Pop. Lembro-me de ligar a televisão em um canal de notícias 24 horas e ver a notícia de que Michael Jackson sofreu uma parada cardíaca e estava internado em um hospital. Fontes não confirmadas diziam que ele estava morto. Fiquei muito surpresa com a notícia. Na mesma hora pensei: tentaram matar o Michael Jackson. Confesso que nunca fui fã dele, mas curto algumas canções e sei da importância dele pro cenário da música mundial. Fiquei mais de uma hora assitindo televisão e não se tinha nenhuma informação correta. Mais tarde, vi na internet a confirmação da morte do Rei do Pop. Não acreditei no que estava lendo. Liguei a tv e só se falava nisso. Fiquei chocada como tantas pessoas, e triste como milhões de fãs. Achei que pudesse ser um furo jornalístico errado, mas depois vi que era verdade.
Michael começou sua carreira no grupo Jackson 5 e logo se destacou entre os seus irmãos. Uma das minhas músicas favoritas da banda é "I’ll be there", a letra diz “eu estarei lá para te confortar, apenas chame o meu nome e eu estarei lá”, todos os fãs sabem que Michael ainda vive em seus corações, sua música sempre estará tocando em nossos aparelhos eletrônicos. Em 1982, na carreira solo, ele lançou o que seria o álbum mais vendido da história: Thriller. “Porque isto é terror, noite de terror”, realmente foi uma noite de terror vivida pelos filhos do cantor no dia 25 de junho. O álbum teve grandes sucessos como “Beat it”. “Apenas cai fora, ninguém quer ser derrotado” foi o que a família tentou dizer à Michael como uma forma de ajudá-lo a se livrar do vício. Durante um show de divulgação do álbum, ele estava cantando Billie Jean, quando parou a música, andou até o canto esquerdo do palco e voltou deslizando de costas. Naquela noite, foi criado o passo “Moonwalk” e definitivamente ali, ele se consagrou como o Rei do Pop.
Michael Jackson sempre esteve ligado a trabalhos comunitários.Em 1985, ele se uniu a Lionel Richie e Quincy Jones na missão de arrecadar fundos para a campanha USA for Africa. A ideia era gravar uma canção cujos lucros seriam revertidos para reduzir os índices de mortalidade pela fome no continente africano. O rei do Pop escrevu a música “We are the world” que traz uma grande mensagem "Nós não podemos continuar fingindo dia após dia, que alguém, em algum lugar, irá logo fazer a diferença". Michael acredita que é possível mudar o mundo. "Nós somos o mundo, nós somos as crianças, nós somos aqueles que fazem um dia iluminado".
Em 1987, Jackson lançou o álbum Bad, que também teve grandes sucessos. Em uma das músicas, ele mostrou seu lado romântico com "I just can't stop lovin you". E mesmo que ele já esteja morto, nós não podemos deixar de amar você: Michael. Outra canção mostra a preocupação que ele tinha com o mundo. "Man in the mirror" diz que se queremos mudar o mundo, devemos começar por nós mesmos. Não basta só querer. Estrofes como "eu vejo as crianças nas ruas,sem o suficiente para comer, quem sou eu para estar cego? Fingindo não perceber suas necessidades. Se você quer fazer do mundo um lugar melhor, olhe para si mesmo, e então faça aquela mudança" mostram um lado de Michael que poucas pessoas realmente conheciam. Talvez só seus filhos.
Em 1991, foi lançada a canção "Black or White", uma resposta do cantor, principalmente a mídia que o criticava. A cada dia, a cor de sua pele era cada vez mais questionada pela imprensa do mundo todo. Com a música, Michael queria calar a boca de todas essas pessoas e pretendia acabar com o racismo de vez. "Se você está pensando em ser meu irmão, não importa se você é preto ou branco". A canção fazia parte do álbum "Dangerous", que tem uma das músicas que eu mais gosto de Jackson: "Heal the world". Só o nome já diz tudo: cure o mundo. No começo uma criança diz: "pense nas futuras gerações e diga que você quer fazer um lugar melhor para nossos filhos e filhos dos nossos filhos". A mensagem da música é simples e sempre foi transmitida por Michael. "Há pessoas morrendo, se você se importa o suficiente com a vida, torne o mundo um lugar melhor". Outra canção que eu curto muito é "Will you be there". Trechos da música lembram os últimos momentos de vida do astro. "Quando cansado, me diga se você vai me segurar, quando errado, você vai me dirigir ? Quando perdido, você vai me achar? No nosso momento mais sombrio, no meu pior desespero, você ainda vai se importar, você estará lá?". Era tudo que Michael queria saber: se alguém realmente estava com ele. Foram vários momentos conturbados vividos, diversas acusações de abuso sexual e supostas plásticas que o fizeram ficar branco. E tudo que Michael queria era que os fãs, os amigos e principalmente a família "estivessem lá".
No álbum History: Past, Present & Future, de 1995, a música "You are not alone" relembra os momentos difíceis vividos por ele. "Mais um dia se passou, eu continuo sozinho, como pode ser?". Esse trecho resume os últimos momentos da vida do cantor.
Não quero julgar Michael Jackson, sua vida pessoal, as acusações contra ele, as plásticas realizadas, sua quase falência. Estou simplesmente fazendo uma homenagem a uma pessoa que mudou o cenário musical e inspirou milhares de artistas em todo o mundo. Uma pessoa que se preocupava com um mundo melhor, que acreditava que ele podia mudar, que estava sempre ligado a trabalhos comunitários. Não quero defender o Rei do Pop. Cada um tem sua opinião. Mas o que esperar de um homem que começou a carreira com 5 anos de idade? O que esperar de uma criança que não teve infância? Mais do que isso: uma criança maltratada, que tinha medo do próprio pai?Uma criança que não foi criança. E por causa disso não cresceu. Os maus-tratos do pai de Michael deixaram marcas profundas nele. E mesmo com uma infância sofrida, se é que se pode chamar de infância, Michael não descontou isso nas outras pessoas. Ao contrário, ele espalhou a sua bondade e sua mensagem de ajudar o próximo. Eu não acredito em nenhuma acusação de abuso sexual contra ele. Quanto às plásticas, acredito que algumas foram feitas, mas não ao ponto dele se tornar branco até porque Jackson cantava em suas músicas sobre a igualdade racial. Para ele, todos eram iguais, não importava se era branco ou negro. Ele não tinha motivos para mudar de cor. Acredito que ele era tão inocente que as pessoas acabavam duvidando da inocência dele. E é por tudo isso, que quando vi a confirmação da morte dele, pensei: Tentaram matar o Michael! Ele podia ter os seus problemas e algumas extravagâncias, mas antes de descobrirem que existia um tal Dr. Conrad Murray nessa história, eu sabia que o Rei do Pop seria incapaz de tentar alguma coisa contra ele mesmo.Tudo que Michael queria era ter sido uma criança como todas as outras, por isso foi morar sozinho no rancho Neverland em busca de privacidade, mas não funcionou: o isolamento só fez com que aumentasse o interesse da imprensa sobre a vida dele. Como eu queria entender Michael Jackson, saber se um dia ele realmente foi feliz, saber dos últimos momentos da vida dele e mais do que isso entender quem foi Joe Jackson. Será que se pode chamar esse homem de pai?
Aqui vão 3 vídeos que mostram quem era realmente Michael Jackson. O primeiro é um trecho de uma entrevista em que Michael fala do medo que tinha de Joe Jackson. No segundo, a pequena Paris Jackson resume quem foi seu pai." O melhor pai que vocês podem imaginar". O terceiro mostra o lado mais humano de Michael na música "Heal the world".